Núcleo da UFCG ajuda evolução da Paraíba em ranking regional de registro de patentes

A Universidade Federal de Campina Grande comemora por mais um ano consecutivo o crescimento no âmbito tecnológico. Após divulgação de dados preliminares referentes ao ano de 2018 por parte do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), a Paraíba figura como primeira colocada no ranking regional de solicitações de registro de propriedade intelectual, ou seja, pedidos de patentes. Do total de 232 alcançado pelo Estado, 83 estão em Campina Grande e contaram com a colaboração de um importante núcleo da UFCG, o Núcleo de Inovação e Transferência Tecnológica (NITT), comandado pelo professor Nilton Silva, da Unidade Acadêmica de Engenharia Química (UAEQ/CCT).

Se em 2017 o NITT auxiliou o registro de 80 patentes, em 2018 esse número subiu para 83. Os registros, de uma forma geral, estão distribuídos da seguintes forma: 83 patentes de invenção, 35 de softwares e 5 de marcas.

“Esses números refletem o trabalho dos nossos pesquisadores e praticantes da indústria paraibana. Aqui temos um potencial imenso em termos de ciência, tecnologia e inovação. No contexto da nossa instituição, temos de enaltecer todo o trabalho de assessoria técnico-jurídica do NITT. Com as ações desse órgão, obtivemos excelentes resultados, em particular nos últimos 3 anos. Alcançamos a dianteira na nossa região”, comentou o coordenador do núcleo, Nilton Silva. “Queremos agora estar entre as cinco unidades da federação com maior número de registros de patentes. E sabemos que estamos no caminho certo, pois as ações realizadas inicialmente pelo NITT extrapolaram os muros da universidade. Hoje temos parcerias de cooperação mútua com vários órgãos, como UFPB, IFPB, UEPB, Embrapa, INSA, Sistema Industria, INPI, Parque Tecnológico da Paraíba (PacTC-PB), secretarias de governo em nível estadual e municipal, FAPESQ e outras”, completou o professor, que também é diretor-geral do Parque Tecnológico da Paraíba.

A participação da UFCG nos pedidos de registro de patentes é um importante auxílio para o Estado. Os números alcançados representam aproximadamente 35% do que foi registrado em toda a Paraíba no ano de 2018. Além de alcançar o topo do ranking regional, o resultado garantiu o Estado na sétima colocação nacional, com um total de 232 solicitações.

Atualmente, a UFCG faz parte também de uma entidade denominada
Rede de Inovação da Paraíba (RIPB). Essa parceria é um motivo a mais para boas expectativas com relação aos trabalhos realizados na Universidade. “Certamente as ações nos próximos anos serão de envergadura ainda maior, o que irá culminar com a elevação do nosso estado a níveis cade vez maiores regional e nacionalmente”, finalizou Nilton.

A RIPB

A Rede de Inovação da Paraíba é uma iniciativa conjunta de instituições de Desenvolvimento Tecnológico e de Inovação do Estado da Paraíba, a partir da formalização de um Acordo de Cooperação Técnica entre universidades, institutos de pesquisa e instituições gestoras de inovação.

Ela foi criada em 2015, com o intuito de promover atividades relacionadas à propriedade intelectual e a transferência de tecnologia, considerando o crescimento econômico e social e o desenvolvimento sustentável do Estado. Participam dela instituições de ensino, pesquisa e entidades do governo com interesse na área econômica e de inovação, tais como a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o Sistema Indústria da Paraíba, por meio do SENAI e do IEL/PB, o Instituto Federal da Paraíba (IFPB), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI-PB) e a Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (PaqTcPB), entre outras.

1 thought on “Núcleo da UFCG ajuda evolução da Paraíba em ranking regional de registro de patentes”

Os comentários estão encerrados.